Política G1Pol

Pressionado e temendo desgastes com categorias, Bolsonaro é aconselhado a recuar de reajuste a policiais

Por Da Redação

13/01/2022 às 10:10:35 - Atualizado h√°

Antonio Molina/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Diante da pressão de outras categorias por reajuste salarial, além de ameaça de paralisações, o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem sido aconselhado por integrantes do Ministério da Economia a recuar do reajuste salarial prometido a policiais no final de 2021.

Segundo o blog apurou, o ministro Paulo Guedes tem repetido a políticos bolsonaristas, que defendem o reajuste como gesto à categoria que é vista como base do presidente, que não é hora de dar reajuste salarial a ninguém.

Inclusive, ministros do Supremo Tribunal Federal têm conversado com integrantes do governo e avaliado que o reajuste específico, se for adiante, certamente será judicializado e que, diante do avanço da ômicron e de incertezas na economia, "não faz sentido" discutir aumento salarial para servidor público em momento de crise.

O próprio centrão foi contra o reajuste apenas para policiais desde o começo da discussão — mas Bolsonaro pediu a Guedes que arrumasse espaço fiscal para conceder o aumento. O Congresso acabou aprovando um valor de R$ 1,7 bilhão para essa finalidade, que ficou abaixo dos R$ 2,8 bilhões propostos pelo Ministério da Economia. De acordo com a pasta, o aumento salarial para a categoria ocorreu por uma "decisão do presidente da República".

Bolsonaro e o líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros, em foto de setembro de 2020.

Alan Santos/PR

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), disse ao blog nesta quinta-feira (13) que desde o final de 2021 vem dizendo que, em sua avaliação, seria melhor não dar reajuste a ninguém pois a "confusão era esperada", referindo-se à reação de outras categorias. Mas que a decisão política é do presidente e agora o governo discute uma solução para a questão.

"Não estou me opondo ao reajuste, eu sempre disse que achava melhor não dar reajuste a ninguém. Mas a decisão política foi tomada e agora o governo está discutindo qual a melhor solução".

No fim de 2021, Bolsonaro mandou Guedes centralizar o reajuste na categoria de policiais para fortalecer sua base de apoio de olho em votos para 2022.

No entanto, diante da indefinição a respeito do reajuste, integrantes da polícia federal têm reagido nos bastidores e avisaram ao ministro da Justiça, Anderson Torres, que haverá desgastes para a imagem do presidente junto à corporação se o governo recuar de sua promessa.

Hoje, também está prevista uma reunião do ministro da Economia com o presidente do sindicato nacional dos auditores fiscais da Receita Federal, categoria que também pressiona por reajuste.
Fonte: http://g1.globo.com
Comunicar erro

Coment√°rios Comunicar erro

O Santaritense Digital

© 2022 Copyright © 2021 - O Santarritense - Todos os direitos reservados
Rua José Bonifácio, 117, Centro, Santa Rita do Passa Quatro (SP)

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

O Santaritense Digital